Qual plataforma de vendas é melhor? Magento x Woocommerce

Assim como vendas presenciais, as vendas online estão inseridas em ecossistema complexo e igualmente perverso. Fazer escolhas erradas, não somente de plataforma, significa perder tempo, competitividade e dinheiro.

Apesar de se mostrar, na maioria das vezes, uma alternativa mais barata em termos de custos operacionais, uma empresa que investe em uma loja própria sem muitas orientações e informações, acaba descobrindo que vender online não é simplesmente ter a sua loja.

Uma das principais dúvidas na hora de adquirir a loja virtual própria, ou seja, sem alugar uma plataforma, é decidir qual delas irá investir. Numa busca rápida, é fácil notar a existência dessas duas gigantes plataformas de Código Aberto.

Neste artigo, eu vou lhe apresentar de modo simples os pontos que você deve estar atento na hora de fazer essa escolha, não somente entre as duas plataformas[*].

O que diferencia realmente uma plataforma da outra?

Plataformas de vendas, também conhecidas como plataformas de ecommerce, possuem como objetivo central funcionarem como uma interface entre o cliente e o vendedor, possibilitando através de meios digitais, a venda e distribuição de produtos e serviços. Nessas plataformas as principais funcionalidades, e igualmente indispensáveis, são os meios de pagamento e cálculo de frete.

Logo, se todas as ferramentas disponíveis são feitas para o objetivo final de possibilitar a venda, o que influencia na escolha de uma ou de outra?

Linguagem de programação

Os códigos que são interpretados pelo computador, são escritos seguindo uma série de requisitos determinados pela linguagem de programação escolhida. Não é possível apontar uma linguagem como superior à outra sem utilizar uma base comparativa, seja ela a performance, segurança, facilidade de manutenção e escalabilidade. De maneira geral, se você não tem conhecimentos muito profundos, escolha o PHP.

O PHP concentra as principais plataformas de venda de código aberto, e dentre a suas vantagens para fazer a sua escolha, é possível enumerar:

  • Disponibilidade e facilidade de uso em hospedagens;
  • Facilidade de manutenção: é muito mais fácil encontrar um programador PHP para dar manutenção em sua loja que um programador de Ruby on Rails por exemplo;
  • Muitos anos de maturação e segurança, atualmente sua versão 7 é estável e possui performance muito aceitável;

Nesse quesito, o Woocommerce e o Magento estão em pé de igualdade, exceto em um ponto importante. O Magento em sua versão 1.9 não possui suporte oficial ao PHP 7, devendo obrigatoriamente recorrer à módulos de terceiros para sua compatibilidade.

Performance

Está muito em alta um tópico importante, que é indiferente de plataforma mas possui influência direta sobre ela: usabilidade. Esse termo é designado para a facilidade que o usuário se interage com o seu site. Um dos pontos muito importantes é o tempo carregamento.

O tempo de carregamento interfere diretamente nos índices de conversão [1], que é um indicador de quantos visitantes realmente efetuaram a transação. Isso possui um impacto muito grande para a saúde da sua loja virtual, uma vez que quanto maior o retorno sobre os investimentos de marketing, mais rentável é a sua operação.

Além do fator de conversão, o tempo de carregamento é um fator que influencia no seu posicionamento em mecanismos de busca orgânica [2].

A performance da plataforma que você escolhe, influencia diretamente nos recursos necessários para entregar bons resultados ao usuário. Uma plataforma com boa performance, vai requisitar servidores menos robustos, e portanto, mais baratos.

Analisando friamente, o Woocommerce possui uma complexidade muito menor que o Magento, e nesse ponto ganha pois até em servidores compartilhados é possível obter uma performance muito boa, coisa que é muito difícil fazer com o Magento. Entretanto, tudo vai estar diretamente relacionado com a sua infraestrutura para possibilitar uma navegação fluida.

Vale a pena ressaltar um ponto importante sobre o qual não é muito explorado é o uso de templates prontos. De tudo eles não são péssimos, possibilitam o desenvolvimento mais barato e mais rápido da plataforma completa, entretanto a sua escolha deve levar em conta a sua performance, quanto mais recursos utilizados, pior tende a ser a sua performance, ainda mais quando são mal utilizados (por vezes nem utilizados, mas mesmo assim carregados). Portanto, é necessário ter sabedoria na hora de escolher utilizar ou não templates prontos.

Integrações e suporte da comunidade

Quando você vai escolher um sapato para viajar, por exemplo, você leva em conta que não pode levar todos os seus pares disponíveis, portanto você precisa escolher os pares mais versáteis. Com as integrações funciona da mesma forma, não são igualmente disponíveis os módulos e plugins de integrações para todas as plataformas disponíveis, o que torna esse um ponto muito particular de cada projeto.

Para não errar na escolha, é necessário levantar desde o início do projeto, quais as funcionalidades necessárias tanto para o curto quanto para o longo prazo. Quais funcionalidades seriam essas? Alguns exemplos de funcionalidades que são muito relevantes para a escolha:

  • Integração com MarketPlaces;
  • Integração com ERP;
  • Integração com meios de pagamento;
  • Ferramentas para impulsionar o seu SEO;
  • Recursos que facilitem a rotina gerencial;
  • Recursos alinhados para o tipo de mix de produtos que você possui.

Muita das vezes não é possível prever com um intervalo muito grande essas necessidades, muito por conta do dinamismo e das diferentes ferramentas que surgem todos os dias, entretanto escolher uma plataforma muito utilizada lhe dá um aval grande para poder fazer essas escolhas com folga.

Nesse ponto entra o suporte da comunidade, essencial para o crescimento e desenvolvimento da plataforma, a comunidade contribui de muitas formas para a sobrevida da plataforma. Em um exemplo muito comum, se a plataforma está com um problema recorrente, facilmente o erro será corrigido. Outro ponto que isso influencia, é na rapidez do desenvolvimento e na adaptação de novas tendências. Quanto maior a comunidade, maior a diversificação dos recursos, maior o suporte a plataforma e maior a estabilidade da sua loja.

No comparativo, ambas as plataformas em questão ficam muito próximas, uma vez que o time de desenvolvimento do Woocommerce consegue lançar muitos recursos interessantes e úteis, ao passo que o Magento já está em um grau de maturação muito grande, contemplando as mais diversas soluções. As duas plataformas também possuem seu local de agregação de recursos próprios, facilitando a busca e instalação destes conteúdos. O diretório de plugins do WordPress reúne apenas itens gratuitos, já o Marketplace do Magento (antigamente era chamado Magento Connect) reúne módulos gratuitos e pagos das versões 1 e 2.

Um fato muito importante para ressaltar, é que sempre é levado em conta a economia, ou seja, não é que não seja possível desenvolver uma integração personalizada, entretanto tudo se torna muito mais fácil quando já existem prontas e basta a instalação.

Segurança

Você costuma comprar em lojas que não lhe passam credibilidade? Dados das transações, principalmente de pagamento, são informações que precisam serem armazenadas com segurança. Qualquer falha no armazenamento e na transição desses dados, podem acarretar em grandes problemas.

Nesse ponto, a segurança nas plataformas vai ser assegurada pela forma com que ela faz as requisições e também as camadas de segurança que aplica. Essas camadas vão garantir que no caso de descobrirem uma vulnerabilidade, existam outras proteções.

Nenhuma plataforma de vendas vai ser 100% segura, sempre vão existir vulnerabilidades que são descobertas ao longo do tempo. Apesar disso, existem muitas medidas que podem ser tomadas que impedem dessas falhas de serem exploradas e também fazem com que você ganhe um tempo para fazer a correção.

Em um comparativo entre as plataformas analisadas, possuímos vantagens e desvantagens de cada uma. No Magento as atualizações de segurança são lançadas em Patches. Esses patches não são tão simples de serem aplicados pois são disponibilizados em linha de comando. Desenvolvedores menos experientes ou pessoas que não possuem muita prática com o SSH, acabam sofrendo bastante. O ponto positivo dos patches é que eles não alteram os arquivos que não são vitais para a segurança, dispensando você de atualizar a versão do Magento e podendo causar possíveis incompatibilidades (é importante ressaltar que mesmo os patches não zeram essa chance, ela ainda existe). Já no Woocommerce, por utilizar o WordPress, possui uma interface muito simples de atualizar. Com um clique é possível atualizar o WordPress e outro é possível atualizar o Woocommerce. Qual o problema disso? O problema é justamente por essa facilidade! Muitas pessoas não possuem a rotina de backup necessária para fazer esses ajustes e acabam causando incompatibilidade e problemas com essas atualizações.

De maneira geral, o Magento possui camadas mais seguras na sua estrutura, mas o Woocommerce não se torna uma plataforma ruim por conta disso. O Magento não é a plataforma mais segura do mercado, tampouco o Woocommerce, mas o resultado final vai depender muito mais de outros fatores que da plataforma em si.

Um ponto muito importante a ser ressaltado é que os certificados de segurança não garantem que uma loja vai ser 100% segura, apesar de aumentar muito a confiabilidade do sistema.  

Recursos

No ponto de Integrações, ressaltei a importância do planejamento dos recursos a serem utilizados e como se aproveitar dessa informação na hora de escolher. Além desse ponto, é importante falar sobre os recursos que já estão inclusos na plataforma, ou seja, não necessitam de serem instalados módulos ou plugins adicionais.

A importância disso é que quanto mais recursos adicionais você instala em sua loja, maior a chance de erros, maior a exposição dos dados e maior a chance de incompatibilidade com atualizações. Em resumo, recursos nativos oferecem menos riscos à saúde da sua plataforma.

O Magento por ser uma plataforma muito mais antiga, possui muito mais recursos nativos, assim como possui uma estrutura de produtos muito mais complexa e completa. Uma grande vantagem que o Magento possui sobre o Woocommerce é justamente a arquitetura das informações no painel, como clientes, pedidos e seus relatórios. Um outro ponto que o Magento leva uma vantagem muito considerável é nos produtos variáveis.

O Woocommerce oferece nativamente apenas o básico para você vender, mas o próprio desenvolvedor do módulo oferece plugins adicionais que completam a experiência do usuário. Muito desses plugins são pagos, mas mesmo assim estão disponíveis.

Manutenção (custo, dificuldade e necessidade)

Quanto mais complexa a plataforma, maior o conhecimento necessário para poder mantê-la. Possuir uma plataforma mais robusta resulta então em um custo mais alto, não existe mágica. É necessário verificar então qual a dificuldade ou facilidade da plataforma que você está adquirindo.

De certa forma, a necessidade de manutenção vai ser relativa à quantidade de atualizações que são lançadas. No Magento, os Patches são esporádicos na versão 1 e na versão 2, já lançam com uma maior frequência. Já no Woocommerce, as atualizações são constantes e a necessidade de manutenção se torna muito maior, apesar disso, é bem mais fácil que no Magento.

Lojas virtuais não são plataformas estáveis. Um site institucional por exemplo, uma vez que você o disponibiliza online, concentra em apenas atualizar as informações, e em casos mais raros e isolados, faz a atualização de segurança. Já em lojas virtuais, as coisas não são um mar de flores, precisam de constantes cuidados.

Alugar x ter plataforma própria

Quando você vai iniciar um negócio online ou então trazer o seu negócio físico para o ambiente digital, sempre vai esbarrar nas diversas escolhas que pode fazer. Um desses pontos é o custo da aquisição da plataforma que pode não ser tão barato quanto aparenta. Se os custos de implantação não são tão baixos a ponto de lhe inviabilizar a sua entrada, se atente bem com os custos de manutenção, hospedagem e afins.

Uma excelente opção para negócios novos que coloquem à sobrevivência em dúvida com os custos é o aluguel da plataforma. Existem opções muito interessantes no mercado que disponibilizam os recursos necessários para você dar um start em um negócio e se concentrar em vender. O grande problema disso é que isso não garante os recursos necessários para pivotar para uma plataforma própria.

Dentre as vantagens de alugar uma plataforma estão:

  • Não se preocupar em manter a estabilidade da plataforma;
  • Não possuir custos de hospedagem e manutenção;
  • Não investir uma quantidade de recursos muito grande para o início;
  • Tornar uma validação de negócio ou entrada no mercado mais viável.

Aluguel de plataforma não é a melhor alternativa, mas de longe não é a pior. Se a estratégia para a loja for inteligente, ela dará resultados. As plataformas possuem recursos atualizados a todo instante, garantindo sempre uma boa disponibilidade de recursos.

Foco no que importa

Depois de tanto falar sobre os pontos que você precisa analisar para poder fazer uma escolha assertiva da plataforma, chega aqui o ponto em que é o mais crucial. Verificar todos os itens dos quais listei anteriormente é importante, mas sem o foco no que realmente importa, eles não vão trazer resultados. E o que realmente importa? A experiência do usuário.

Não adianta ter uma plataforma que lhe atenda em tudo, se ela não possibilita a venda, se ela não possui boa navegação em um ambiente mobile, se ela não passa confiabilidade em seu design para o cliente… e por aí a lista vai se estendendo. Fazer uma escolha da plataforma é apenas o começo da sua sobrevida digital.

Não existe plataforma perfeita, tampouco a plataforma que vá fazer as vendas por si só, elas são somente uma ferramenta essencial para a venda, mas ela é uma das muitas variáveis que fará você lucrar.

Escolhendo qualquer plataforma, invista na experiência do seu usuário, verifique a navegação do seu site, disponibilidade e organização das informações. Vender online também requer aplicar conhecimentos voltados à administração dos negócios, negociação e desenvolvimento estratégico da sua marca. Aliás, essas peças são muito mais importantes que a escolha da plataforma propriamente dito.

Conclusão

Como pode ser visto anteriormente, muitos fatores interferem na escolha da plataforma ideal para você. Em todo o artigo, apresentei argumentos vantajosos para a escolha de ambas plataformas, e isso se deve ao fato de que não existe plataforma melhor que a outra. É necessário traçar uma base de requisitos e só assim é possível apontar um sistema como melhor que o outro.

Gosto muito de fazer a comparação entre as plataformas e carros. Existe um carro ideal para todas as ocasiões?

Comparação entre carros de diferentes categorias.

Vamos comparar três carros: um Audi A4, uma Ford Ranger e um Volkswagen up!. Você há de concordar comigo que são carros muito distintos, tanto no preço quanto em seus objetivos.

  • Para quem deseja um carro rápido e luxuoso, com muitos objetos de conforto e bom desempenho ao viajar, o Audi A4 é disparado a melhor escolha.
  • Para quem deseja um carro útil, forte, que consiga carregar grandes objetos e que vença estradas de terras, a Ford Ranger é disparada a melhor escolha.
  • Para quem deseja um carro compacto, econômico e com mecânica simples e barata, o Volkswagen up! é disparado a melhor escolha.

Não há muito o que se discutir nessas três escolhas, todos os três carros foram feitos com propostas diferentes, e visam atender públicos com exigências e necessidades diferentes. Talvez o mesmo consumidor possa estar em dúvida entre o Audi e o Volkswagen da lista, mas ele terá que abrir mão do consumo de combustível e da manutenção barata.

Assim funciona a escolha da plataforma, ainda não existe uma tão perfeita que possa atender qualquer tipo de público sem nenhuma restrição, sempre haverão essas diferenças que fazem da escolha da plataforma muito difícil.

Você que quer entrar no meio digital, deve se preocupar com a escolha, mas mesmo assim precisa ficar atento às atividades chaves que dão suporte para a venda online. Dessa forma, foque em conseguir uma plataforma que lhe atenda, e não fique procurando a melhor para qualquer ocasião: você não vai encontrar.


Links e Comentários extras

[*] O Woocommerce é um plugin do WordPress que fornece todos os recursos necessários para efetuar transações comerciais, ele não é exatamente uma plataforma, mas a fim de simplificação, no artigo ele foi considerado como uma.

[1] http://www.globaldots.com/how-website-speed-affects-conversion-rates/

[2] https://moz.com/learn/seo/page-speed